15 milhões

Vi há uns dias o filme “Vice”, que retrata a vida de Dick Cheney, vice-presi-
dente dos Estados Unidos da América nos mandatos de George W. Bush.

Nesta obra de ficção, baseada em factos reais, é possível observar que o poder político não olha a meios para fazer passar a sua mensagem, através da manipulação da opinião pública, com as fake news, os focus groups e, principalmente, com uma comunicação social obediente, que se limita a dar notícia e a não questionar os factos. Vem isto a propósito do subsídio atribuído pelo Governo a vários grupos de comunicação social, no valor de 15 milhões de euros.

Ao que parece, uma larga maioria dos portugueses não quer saber ou não se importa que o dinheiro dos seus impostos seja utilizado para financiar órgãos de comunicação social. E também não se importa que os critérios adotados para o apoio/aquisição de publicidade sejam pouco transparentes. E também não sabe que esse valor será dez (sim, dez!) vezes mais do que no ano passado. Isto, vindo de um governo que em plena crise dos incêndios de 2017, pediu a um focus group para medir a sua popularidade, diz bem de quais são as suas prioridades: imagem, imagem, imagem!

Felizmente, ainda vivemos em Democracia, temos liberdade de pensamento, de opinião e de expressão que permitem, a mim e a quem pensa como eu, discordar e questionar a forma altamente controversa como este processo se desenrolou. Já outros, preferem enterrar a cabeça na areia e fingir que isto é tudo normal.

Humberto Neves
PSD Almeirim

.