Santarém Reabilitada-Grande Tarde do “Margaça” (F.Palha)

Cerca de 10.000 aficionados presentes. A monumental Celestino Graça recuperou das cinzas. Os aficionados corresponderam. Parece que o tempo voltou para trás e estávamos de novo nos anos de ouro da Monumental. De novo de pé, com grande fulgor. João Moura foi homenageado naquela, onde deixou a afición em delírio, quando ali se encerrou com sete toiros, há 41 anos. O “maestro” reviveu no passado dia 17 de março, tempos de glória e euforia. Atuação de boa nota no seu primeiro toiro, com dois ferros compridos de boa nota e cinco curtos com batidas ao piton contrário. No seu segundo (Veiga Teixeira) teve uma lide morna, pois o oponente não dava para mais. Toiro de deficiente apresentação. António Ribeiro Telles impôs a sua classe e a sua mestria na lide do seu primeiro, mas foi no seu segundo que colocou a praça em alvoroço dada a qualidade e apresentação do seu oponente. “Grande” toiro de Cunhal Patrício, premiado com ovação quando era recolhido e depois com a volta à praça do ganadero. Grande lide do “Maestro” da Torrinha. Francisco Palha marcou a diferença com duas atuações de ousadia, arte e temple. Recebeu os seus dois toiros com duas portas de gaiola simplesmente soberbas. Cravou os seus ferros curtos de batidas ao piton contrário em sorte de fazer “parar o coração”. Palha deixou em Santarém a promessa de uma temporada de consolidação definitiva como primeira figura do toureiro a cavalo. Grande tarde! No capítulo das pegas estiveram em praça, dois Grupos consagrados: Santarém e Vila Franca. Por Santarém foram solistas Ruben Giovetti (segunda), António Taurino (segunda) e Francisco Graciosa (primeira), na melhor pega da tarde. Por Vila Franca foram solistas o cabo Vasco Pereira (segunda), Rui Godinho (primeira) e Francisco Faria (terceira). Tarde difícil para ambos os Grupos de Forcados. Lideram-se toiros de Cunhal Patrício (5) e Veiga Teixeira (1). Dirigiu Marco Cardoso, a assessorado pelo veterinário Dr. José Luís Cruz, sendo cornetim José Henriques. A Monumental Celestino Graça foi “reabilitada”! Parabéns!

A. J. Madureira

.