Não há soluções, há caminhos : 12 dezembro

Todos desejamos a paz e por isso nos alegramos com as tréguas. Mas as tréguas são ainda perigosas.

Podem ser tempo de recarregar munições. É assim entre os povos e as pessoas: param para procurar a palavra ou o gesto que vai ferir.

A paz não é só baixar os braços. É abraçar, buscar o que liga e o que constrói pontes entre os homens.

 

Vasco P. Magalhães, sj

.