Um passatempo que pode virar trabalho

BRUNO SILVA tem 31 anos, é residente em Almeirim e com mais dois amigos mostrou mais de 300 000 peças de Lego numa exposição inédita na cidade. Foi apenas a primeira para quem gostava de fazer vida deste modo…

De onde vem a ideia de fazer esta exposição?

Publicidade

Já faço isto há alguns anos, como hobby, desde 2008 sensivelmente. Já fiz parte de um grande grupo cá em Portugal, deixei em 2014 e agora decidi abrir uma empresa para também tentar fazer vida disto, visto que já tenho alguns anos de experiência. Esta é a primeira exposição a nível individual que estou a fazer aqui na biblioteca, também porque acho que é dos melhores espaços, é um espaço agradável e também por estar aqui centrado com as festas da cidade, ocupando os dias todos. Qual foi a ideia em que se inspirou? Isto é tudo fantasia, não está aqui nenhuma exposição que tenha sido inspirada em algum edifício real, é tudo da nossa cabeça. A lego tem todas estas peças, em conjuntos oficiais e não oficiais, este conjunto foi feito apenas pela nossa cabeça, não existe à venda. Encomendamos as peças e depois montamos.

Acha que exposições deste género levam mais pessoas a voltar a aderir ao lego?

Sim, penso que sim. O Lego, nos últimos cinco ou seis anos tem tido novamente uma grande adesão. Houve ali uns anos a seguir a 2000, 2000 e pouco que esteve muito parado, mas as pessoas estão outra vez a aderir, mesmo as crianças, hoje em dia, já todas só querem é tablets e telefones, mas mesmo assim alguns querem brincar com isto. O pessoal que vem ver costuma gostar sempre, variando em idades, sejam grandes ou pequenos, regra geral toda a gente gosta.

O que o fez apaixonar pelo LEGO?

Comecei a brincar com LEGO ainda não tinha 3 anos, e foi uma paixão que ficou para a vida toda, apesar de ter estado adormecida durante a adolescência, voltou novamente aos 21 anos, e tem sido até aos dias de hoje. Onde se inspira normalmente para as suas exposições? Todos os edifícios apresentados na exposição vieram do nosso imaginário, mas vamos sempre procurando referências e ideias para as construções um pouco por todo o Mundo.

Qual o nome do grupo que participou e em que eventos participou?

O nome do grupo é Comunidade 0937, e participei em eventos desde Tomar, a Paredes de Coura, como os principais eventos anuais desta Comunidade e depois noutros mais pequenos, um pouco por todo o território nacional.

Qual a ligação com os seus dois colegas, e como se juntaram?

Já nos conhecemos há alguns anos, eu decidi criar esta empresa e ao falar com eles sobre o projeto vi que também tinham interesse no assunto e decidiram ajudar-me.

Como surgiu a ideia de abrir uma empresa e que planos futuros tem para a ela?

Já o fazia como hobby desde 2008, e como é uma atividade que adoro fazer, então decidi criar a empresa. Futuramente, penso continuar a fazer exposições noutros locais e estar sempre a melhorar e a expandir as construções.

Como se consegue viver do LEGO?

Existem várias vertentes, como fazer exposições, vender conjuntos e peças em separado, criar construções que possam vir a ser produzidas e vendidas pela LEGO, entre outras.

Como é que se pode tornar rentável este gosto?

É como qualquer outro gosto ou hobby que exista, temos de nos empenhar naquilo que fazemos, realizar trabalhos que chamem a atenção às pessoas e que elas gostem de ver, tentar criar algo novo ou nunca antes representado.

Sabemos que tem recebido muitas crianças nas suas exposições. Qual a reação?

As crianças adoram ver este tipo de cenários pois é uma coisa que muitas sonham fazer mas que não é fácil alcançar quando somos mais novos, seja a nível monetário ou por falta de espaço.

E os adultos também têm gostado?

Sim, a grande maioria também gosta, apesar de não demonstrarem o mesmo entusiasmo dos mais novos.

Onde serão as suas próximas exposições?

Estamos a tratar disso neste momento, temos alguns sítios em vista, mas ainda não confirmados.

Qual foi o número máximo de peças que já utilizou?

Só num edifício foram cerca de 14 000 peças, no hotel que esteve presente no cenário de cidade.

Quanto é que já investiram em Lego?

O investimento não foi só feito em LEGO, sendo que a empresa também tem um estúdio onde realiza os trabalhos, entre outro material necessário para armazenamento, esse investimento já ultrapassou os 10 000€.

O Paredes de Coura Fan Weekend é uma exposição para todos o que adoram LEGO e chegou ao Centro Cultural da cidade no fim de semana, entre 8 e 10 de junho. Durante três dias podia visitar a exposição onde se encontravam réplicas de monumentos, veículos icónicos (carros, comboios, motas) e os cenários dos seus filmes e séries de televisão favoritos, e participar nas palestras e oficinas que lhe permitiam trocar impressões e técnicas de construção com outros participantes. Inspirado no Skaerbaek Fan Weekend, que se realiza anualmente na Dinamarca, o nosso país é o segundo no mundo a realizar um evento dedicado a esta temática.

.