Derrame continua a afetar a Raposa

Um dia depois do derrame de gordura animal, a freguesia da Raposa continua a sentir os efeitos desse incidente.

A Presidente de Junta, Cristina Casimiro, lamenta que cheire mal e elogia as autoridades: “As entidades tomaram as precauções para a segurança Rodoviária, mas ficou o cheiro o pó e a sujidade provocada pela irresponsabilidade da empresa que transporta este tipo de óleos em camiões com galeras. Contamos com a dedicação dos nossos Bombeiros que mais uma vez se deslocaram ao local para proceder à limpeza das bermas, Rua de baixo e Rua da escola. Quanto à estrada nacional, não se pode tirar o pó, para não provocar acidentes”, concluiu.

O derrame, por volta das 16h desta sexta-feira, 11 de Maio, estendeu-se por cerca de 500 metros, forçando a GNR a fazer o corte da estrada durante aproximadamente de três horas.

.